Clique aquí para descobrir seu Sígno
CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA DESCOBRIR O SEU SIGNO

ORIGENS

Os chineses acreditavam que sua história estava relacionada com os céus. chamavam sua terra de o "Reino do Meio", que representava o "Reino do meio celeste", onde as estrelas nunca se punham. O imperador, ou o "Filho dos Céus" como era chamado, era um mediador entre o Céu e a Terra. conhecia, graças ao seu astrólogo imperial, os dias da mudança das estações e podia prever e interpretar todos os sinais celestes. Acreditava-se que, caso o imperador cometesse algum erro em suas previsões, ele perderia todos os poderes que lhe eram conferidos pela natureza. Portanto, era muito importante que seus conselheiros observassem e calculassem com a máxima precisão todos os movimentos do céu. Os deslizes eram punidos com a decapitação.

Tão marcante era a influência da astrologia na China antiga, que mesmo os palácios eram construídos de forma a se adequarem à simbologia astrológica. Havia um palácio para cada estação do ano e eram a representação terrena dos "palácios" ou "setores" do reino celeste. As portas do palácio de verão estavam voltadas para o Sul as da primavera, para o Leste; as do outono, para o Oeste e as do inverno, para o Norte. Durante a dinastia Shang, por exemplo, o imperador era obrigado não só a residir nesses palácios de acordo com a estação do ano, como também a voltar-se para o Sul durante as audiências. O sul representava o centro do seu reino, a Estrela Polar.

Além do Zodíaco Chinês, os astrólogos-astrônomos deixaram ao mundo outras valiosas contribuições. Acreditavam que os cometas eram emanações dos planetas e foram os primeiros a observar o cometa Halley em 240 a.C. Dividiram o ano em exatamente 365 ¼ dias em 444 a. C., como fez o Papa Gregório no século XVI, quando organizou o nosso atual calendário.

As enchentes e as secas eram previstas astronomicamente desde 300 a.C. e o papel desses sábios era dos mais decisivos na administração econômica e judiciária de todo o país. As manchas solares eram cuidadosamente registradas desde 28 a.C., pois acreditava-se que o sucesso na agricultura estava intimamente ligado a esse fenômeno solar. Aos planetas foram dados elementos e direções; Júpiter = ( madeira, leste ); Marte = ( fogo, sul ); Saturno = ( terra, centro ); Vênus = ( metal, oeste ) e Mercúrio = ( água, norte ).

Em vez de se basearem na elíptica, como fazem os astrólogos ocidentais, os chineses observavam as estrelas circumpolares, que eram visíveis durante a noite toda e durante o ano todo. Concentravam-se também nas 28 constelações circumpolares, denominadas "hsui". Cada uma delas pertencia a um dos palácios celestes e tinha o nome de algum animal. Assim, a constelação do Morcego, por exemplo, estaria nos domínios do Palácio do Norte.

Alguns desses animais não só dão seu nome aos doze meses, como também aos ciclos horários e aos ciclos de 12 meses. Esse Zodíaco parece ter sido usado desde 500 a.C. Porém, a verdadeira origem do círculo dos animais ainda permanece desconhecida.

Segundo uma antiga lenda chinesa, Buda convidou todos os animais da criação para uma festa de Ano Novo, prometendo uma surpresa a cada um dos presentes. Apenas doze animais compareceram e ganharam um ano de acordo com a ordem de chegada: O Rato ou Camundongo; o Boi ou Boi ( Vaca, na Tailândia); o Tigre ( Pantera, na Mongólia ); o Gato ( Coelho, na Tailândia ); o Dragão ( Crocodilo, na Pérsia ); a Cobra ou Serpente ( Pequeno Dragão, na Tailândia ); o Cavalo; a Cabra ou Carneiro; o Galo ou Galinha; o Cão; o Porco ou Javali.

De acordo com um antigo texto budista, quando os animais terminam suas meritórias tarefas, fazem um juramento solene perante os budas de que um deles estará sempre, por um dia e por uma noite, pelo mundo, pregando e convertendo, enquanto os outros onze ficam praticando o bem em silêncio. O Rato inicia sua jornada no primeiro dia da sétima Lua; procura persuadir os nativos do seu signo a praticarem boas ações e a corrigirem os defeitos de seus temperamentos. Os demais bichos fazem o mesmo, sucessivamente, e o Rato reinicia seu trabalho no 13º dia. Assim, graças ao trabalho constante dos animais, os budas garantem uma certa ordem no universo.

"A LENDA DE NIAN"

Há uma velha lenda sobre “Nian”, que significa 'Ano' ou 'Ano Novo ', que explica a origem do Ano Novo chinês (ou Festival da Primavera como é chamado e celebrado na China).

Diz a lenda: Há muito tempo as pessoas de uma aldeia chinesa foram aterrorizadas por um monstro chamado "Nian". O Nian vinha à aldeia, uma vez por ano no início da Primavera para exigir um sacrifício humano, uma criança para ele comer. Ano após ano ele voltava, e ano após ano, as pessoas entregavam as suas crianças para serem devoradas pelo monstro.

Um certo dia, eles decidiram que deixariam de apresentar a sua terrível oferenda. Eles haviam descoberto que Nian era na realidade muito covarde, e tinha medo de ruídos altos e cores vivas. Então, eles compraram muito papel vermelho para decorar as portas de suas casas, escreveram nesses papeis palavras desejando sorte e prosperidade. Em seguida, cobriram os papeis com panos negros e com muitos fogos de artifícios ficaram esperando Nian aparecer na noite de Réveillon.

À meia-noite, Nian novamente voltou à aldeia, para a sua habitual procura por uma criança para comer. De repente alguns dos aldeões correram em sua direção, tocando gongos, tambores e címbalos, enquanto outros retiravam os panos negros descobrindo os papeis vermelhos sobre as portas das casas. Então, os homens soltaram os fogos de artifício, fazendo um barulho ensurdecedor. O Nian, aterrorizado e perplexo pelas cores e ruídos, desviou-se da aldeia e fugiu, deixando-os em paz, por mais um ano, pelo menos. Então, eles celebraram com uma grande festa para a qual toda a aldeia foi convidada. Desde então, para evitar que Nian retorne para reclamar outra vítima, todos os anos, os chineses de todas as aldeias na China, celebram o Ano Novo com muitos fogos de artifício e alegorias feitas com papel colorido onde predomina o vermelho ....

"O ANO NOVO CHINÊS"

O mais antigo e mais importante festival na China é chamado "Festival da Primavera". Muitas pessoas o chamam de "Ano Novo Chinês". Não importa como você queira chamá-lo, este é um momento de muita alegria para milhões de chineses em todo o mundo.

Segundo a tradição chinesa, para se preparar para o Ano Novo, devemos limpar nossa casa, pagar nossas dívidas, cortar os cabelos e comprar roupas novas. Na china é costume decorar as casas com ideogramas declarando o desejo de paz e boa sorte para o próximo ano.

Na véspera do Ano Novo, os chineses costumam iluminar as suas casas e reunir a família para um jantar em que são servidos alimentos especiais. A maioria das pessoas fica acordada até tarde da noite e soltam fogos para afastar os maus espíritos. Outra tradição é a entrega de pacotes decorados com papel vermelho contendo envelopes com dinheiro em seu interior.

O Festival da Primavera celebra a volta da vida à Terra e o início do período de plantio. Os chineses usam um calendário lunar, por isso, a data do Festival da Primavera muda a cada ano. Ela ocorre em algum momento entre o fim de Janeiro e o início de Fevereiro. Em 2011, essa data ocorrerá no dia 03 de Fevereiro e será comemorado o início do Ano do Coelho.

"2011 O ANO DO COELHO"

O calendário chinês tem um ciclo de 12 anos e cada ano é dedicado a um animal. As pessoas nascidas em cada um desses anos apresentam certas características que lembram o animal que rege aquele ano, bem como o seu elemento e sua polaridade.

O Ano Novo chinês 4709, ou 2011 no calendário ocidental é o Ano do Coelho (ou Lebre) branco de Metal, polaridade Yin. O Ano do Coelho começa em 03 de fevereiro de 2011 e termina em 22 de janeiro de 2012. O Ano do Coelho representa o quarto Ano no ciclo de 12 Anos do zodíaco chinês.

Não é o tamanho deste animal que pode nos dar uma idéia de como será o ano sob sua regência, mas a sua natureza interior. Com seus modos graciosos e sua sensibilidade, parece que viveremos um período de muita sofisticação. Em 2011 devemos trabalhar com nossa intuição, associada ao nosso poder de concentração e com muito bom senso. Não devemos depositar todas as nossas esperanças em um único sentido, para não corrermos o risco de falhar.

O Ano do Coelho é tradicionalmente um ano que favorece os assuntos associados com o lar e a família, atividades artísticas, diplomacia e manutençao da paz. Portanto, é muito provável que 2011 seja um ano relativamente calmo, tanto no cenário mundial, quanto a nível doméstico e pessoal. Por outro lado, em 2011 as nações também se tornarão mais isoladas e bloquearão suas fronteiras para se proteger contra o "outro".

Os nativos de Coelho irão prosperar em negócios comerciais no próximo ano. Outros signos compatíveis com Coelho - Cabra, Cão e Javali, em particular, também encontrarão em 2011 motivos de muita felicidade pessoal e sucesso profissional. Os nativos de outros signos, também poderão contar com a boa sorte transmitida pelo Coelho, porém o sucesso dependerá muito do quanto forem flexíveis para se ajustarem ao clima do ano do Coelho. Alguns terão que aprender a negociar diplomaticamente suas questões pessoais ou de negócios.

"A LENDA DO COELHO"


Existem muitas lendas chinesas em torno do Coelho. A mais famosa delas é baseada nas manchas da lua, que (para os chineses) lembra a forma de um coelho. O mito diz que havia uma deusa, Chang'e, que fora separada de seu marido, Houyi, após ter engolido acidentalmente uma pílula da imortalidade, que a tonou imortal, mas também a fez voar tão alto que ela foi parar na lua. Apesar de se sentir bastante solitária, ela pode contar com a companhia do Coelho da Lua (ou Coelho de Jade), que elaborou um elixir para trazê-la de volta à terra.

Gung Hay Fat Choy! (Desejamos que você e sua família tenham um ano de saúde e prosperidade!)

Xin Nian Kuai Le! (Feliz Ano Novo!)

Carlos Roberto ( Amon Sol )

Confira as previsões para o seu signo em 2011

 • RATO • BOI • TIGRE • COELHO • DRAGÃO • SERPENTE • CAVALO • CABRA • MACACO • GALO • CÃO • JAVALI • 

DESEJAMOS E OFERECEMOS PAZ AOS POVOS DA TERRA